Culinária e Cultura: A maniçoba.

Olá, leitores!
Existe uma verdade: não se pode separar a Culinária da Cultura, pois a primeira surge justamente a partir da Cultura, ora não é a toa que quando vamos a um outro país temos que provar os pratos e sabores regionais, na verdade não se pode conhecer por completo a cultura de um país ou mesmo região, se você não experimenta a cozinha local. 
Aqui no Pará, nossa cultura gastronômica se faz muito marcante e forte, podemos dizer que chega a ser um diferencial, sempre que aporta um visitante para conhecer o Estado, um dos primeiros lugares em que essa pessoa é levada são aos pontos em que se pode degustar uma boa iguaria regional, seja ela um sorvete de frutas regionais como cupuaçu, castanha, bacuri ou o irresistível sorvete de tapioca; um bom pato no tucupi; uma tacacá ou ainda uma boa maniçoba. é justamente sobre ela que vou comentar hoje.
Apesar deste prato ganhar destaque na festa do Círio, ela pode ser consumida em qualquer hora ou mês do ano, basta ter aquela vontade de sentir aquele sabor maravilhoso. Segundo Osvaldo Orico, esse é um dos pratos de "resistência", ou seja, aquele que é um sobrevivente da cozinha indígena e que até nossos dias se faz presente.
A maniçoba é um prato feito à partir da folha da maniva, que deve ser fervida por um período de 7 a 15 dias dependendo da cozinheira, durante esse período, vai se colocando na panela as carnes que deveram dar aquela "gordurinha" e sabor a mais. Alguns colocam toucinho, charque, linguiça, paio, lombo de porco e outros acrescentam orelha e rabo de porco. 
Ela deve ser saboreada com um arroz branco e farinha de mandioca bem torrada. É um verdadeiro manjar! É claro que para aqueles que não estão acostumados recomenda-se que não abusem na quantidade, pois é um prato "pesado". Mas, sem sombra de dúvida delicioso. Tornando-se indispensável na mesa de um bom paraense.
Até o próximo prato!

Comentários

Postagens mais visitadas