Pular para o conteúdo principal

Destaques

Bolo de Macaxeira

Quem não ama um bolo? E quando este bolo tem gostinho de mês junino?  A receita de hoje é sobre o bolo de macaxeira, tão famoso no Norte de Brasil, que é tema de contos e e das conversas ao pé da porta nas tardes quentes do século XIX.  O bolo de Macaxeira, que inclusive virou tema de um conto do escritor Jacques Flores. Coo não lembrar do conto intitulado O Bolo de NATAL da Família Malagueta? Ora, aqui a cena principal era um bolo de macaxeira feito pelas personagens Tereza Malagueta, a Tete, e sua prima Felismina do Rosário, a Filóca, que haviam feito um bolo de macaxeira para o Natal da família e seu aborrecimento ao notarem que o bolo "estava com gosto de querosene".¹ Pior ficaram quando notaram que a culpa de tudo era de Pulchéria que "lixara a forma de bolo e, para melhor ficar a limpeza, untou-a de querosene, esuqecendo-se porém, de tirar o inflamável líquido com uma forte lavagem de sabão".² As primas então, resolveram convidar as "inimigas"para …

Café com tapioquinha: não tem coisa melhor.

Olá, leitores!
Muito bom dia!
Que tal um café com tapioquinha com manteiga? Bem paraense não!?
Ontem, resolvi fazer um café com tapioquinha para o lanche e posso dizer que esse momento foi extremamente "guloso". Fiz um bom prato de tapioquinha com manteiga, apenas manteiga! Pois, como diz meu marido, colocar queijo, presunto ou qualquer doce  já é pura invenção. Acho que é uma variação do prato, afinal muitos pratos sofrem mudanças constantes para que esteja adaptado aos mais variados gostos. Por outro lado, a verdadeira tapioca paraense deve ser aquela com uma boa manteiga, isso basta para dar um delicioso paladar. 
Pois bem, fiz a dita tapioca com manteiga e para acompanhar uma garrafa de café. E fiquei feliz com o resultado já que as tapiocas ficaram no ponto exato, o que pra mim foi a confirmação de que a prática na cozinha realmente faz a excelência. Pois, há tempos tento fazer uma tapioca igual aquelas que se encontra nos cafés aos sábados e domingos na cidade, mais eu sempre achei que não ficavam iguais. Nunca desisti, sempre tentei, tentei, tentei e consegui. Minhas últimas tapiocas ficaram uma maravilha, igualzinha as que se encontra por aí, pela cidade. 
Elas sempre ficavam duras, parecendo um biscoito. Mas, desta vez eu acertei, talvez tenha sido o fogo que deixei baixo, a qualidade da goma de tapioca, não sei ao certo, o que sei é que elas ficaram suculentas, como tem que ser.
Até o próximo prato.

Comentários

  1. Meu nome é Cida. Simplesmente amo tapioquinha com café com leite! Há tempos sou tua leitora e adoro tuas postagens. Um abraço! !

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário, participe, você também faz o blog...

As receitas populares