Pular para o conteúdo principal

Destaques

Bolo de Macaxeira

Quem não ama um bolo? E quando este bolo tem gostinho de mês junino?  A receita de hoje é sobre o bolo de macaxeira, tão famoso no Norte de Brasil, que é tema de contos e e das conversas ao pé da porta nas tardes quentes do século XIX.  O bolo de Macaxeira, que inclusive virou tema de um conto do escritor Jacques Flores. Coo não lembrar do conto intitulado O Bolo de NATAL da Família Malagueta? Ora, aqui a cena principal era um bolo de macaxeira feito pelas personagens Tereza Malagueta, a Tete, e sua prima Felismina do Rosário, a Filóca, que haviam feito um bolo de macaxeira para o Natal da família e seu aborrecimento ao notarem que o bolo "estava com gosto de querosene".¹ Pior ficaram quando notaram que a culpa de tudo era de Pulchéria que "lixara a forma de bolo e, para melhor ficar a limpeza, untou-a de querosene, esuqecendo-se porém, de tirar o inflamável líquido com uma forte lavagem de sabão".² As primas então, resolveram convidar as "inimigas"para …

"Milho em sacas de 2 alqueires do Maranhão..."

Olá, leitores! Vamos voltar no tempo? Vamos para o ano de 1852?!
O ano era 1852, mas precisamente 15 de maio, na página de anúncio do Jornal Paraense "O Monarchista Paraense" (Jornal político e Literário); o senhor Folgencio Joze Pinto, cujo estabelecimento ficava de fronte do armazém dos senhores Cunha Lamarão e Companhia oferecia aos seus fregueses:" completo sortimento de charutos da Bahia, milho em sacas de 2 alqueires de Maranhão a 3$600 rs. por arroba; e ainda menos alguma couza a quem comprar de 5 arrobas para sima; assim mais vende sardinhas em latas mui bem conservadas, ultimamente chegadas de Nantes= tabaco do sertão superior qualidade, azeitonas em barris de 5 ancoretas, que tudo se vende mediante pouco dinheiro". 
Fonte: Jornal Monarchista Paraense. 15 de maio de 1852. Pará. Fiz a transcrição do documento com a ortografia da época. 

Comentários

As receitas populares