Olha o Açaí-i, Açaí-i!


Olá, leitores!
Em 1859, o viajante Robert Avé-Lallemant nos relata que até meados do século XIX, era muito comum nas ruas de Belém os vendedores ambulantes percorrerem as ruas utilizando como propaganda e chamativo para os seus alvitres a própria voz. Sobre esse tipo de venda Avé- Lallemant nos descreve:
"Açaí-i, Açaí-i-si! Por muito quietas que estejam as ruas do Pará, embora muitas vezes possa parecer reinar silêncio de morte durante o calor sufocante do meio-dia, ouve-se sempre, a cada momento, o pregão penetrante, percorrendo toda a modulação da escala: Açaí-i! Açaí-i-si! Todo estranho julga ver nesse pregão qualquer remédio para o povo, e quando chama a pregoeira de açaí, preta ou fusca, e examina o segredo, encontra numa panela um molho cor de vinho, um caldo de ameixas".


Até hoje o açaí é muito consumido na capital, em especial, nos interiores na hora do almoço e em muitos lugares no jantar também uma farta tigela de açaí acompanhado com carne ou peixe frito, ou mesmo sozinho... ele não é mais vendido nas ruas, no geral, ele é vendido em pontos espalhados pela cidade que são reconhecidos pois na sua porta é colocado uma bandeira vermelha com a palavra açaí, é só ver um bandeira vermelha é você encontrara o produto a venda...  ele ainda é o rei das gostosuras!
 Que tal um açaí?
Até o próximo prato.

Comentários

Postagens mais visitadas