Pular para o conteúdo principal

Destaques

Cantina do Piero.

As cantinas de São Paulo são as melhores que você pode encontar... Não podíamos deixar de ir em uma Cantina em São Paulo. Fechamos nossas férias com chave de ouro na Cantina do Piero. Experiência Gastronômica deliciosa e que conta com atendimento impecável, ambiente tão gostoso, comida maravilhosa e sobremesa de comer suspirando. 






Uma delícia nós fomos na unidade localizada na rua Haddock Lobo, 728, fundada em novembro de 1990, seu fundador foi Pier Luigi Grandi, o Piero,é um dos pioneiros das cantinas italianas nos jardins, se você quiser saber mais acesse aqui.


Super bem servido, um prato serviu três adultos e uma criança. Estava tudo tão gostoso! 

Uma excelente opção!  Até a próxima!

Pirarucu Frito...

Olá, leitores!
Dos nossos sabores regionais o Pirarucu é um dos mais deliciosos e de um paladar bem singular. É gostoso frito com uma boa tigela de açaí. Mais o açaí paraense sem açúcar e com uma farinha bem torrada pra acompanhar. Foi assim que fiz aqui em casa outro dia e não deu pra quem quis. Fiz com uma dicas da minha enteada e ficou uma delícia. 
O Pirarucu é um dos maiores peixes de água doce fluviais do Brasil. Pode atingir três metros e seu peso pode ir até 200 Kg. É um peixe que é encontrado geralmente na bacia Amazônica, mais especificamente nas áreas de várzea, onde as águas são mais calmas.
Segundo a mitologia o Pirarucu era um peixe cheio de vaidades, egoísmo e excessivamente orgulhoso de seu poder. Certo dia, ele executou sem motivo índios de uma aldeia vizinha. Como castigo Tupã, o deus dos deuses mandou um relâmpago que acertou o coração do guerreiro. Seu corpo ainda vivo foi levado as profundezas do rio Tocantins e de lá transformou-se num peixe gigante e escuro.
Ao longo do século XIX é comum encontrarmos o consumo de pirarucu em toda a Província, em especial o pirarucu seco, pelos segmentos de baixa renda da sociedade, talvez pelo fato de que as classes mais abastadas preferissem à carne, a qual inclusive era mais cara. 
Segundo o periódico O Liberal do Pará, diante “do preço elevado dos gêneros alimentícios, dissera que o pirarucu era o principal alimento das classes pobres do interior”.[1] Aliás, o dito peixe também era consumido pelas classes mais baixas da capital: “Seco, contudo muito reconhecível pela forma, substância e cheiro, o pirarucu, o ‘peixe encarnado’, vem como uma espécie de bacalhau oblongo pelo rio abaixo,  para alimentar as classes baixas”, dizia-nos Ave-Lallemant.[2] Assim, as carnes frescas na maioria das vezes só chegavam aos mais abastados da capital. Uma das razões era o fato de que Belém não tinha criatório de gado, então tinha que comprar dos fazendeiros do Marajó o que acabava encarecendo a carne.[3] Boa parte da população do Norte do país tinha no pirarucu e em outros peixes, quase sempre  secos, associado ao uso da farinha o seu prato principal.
Hoje é um peixe nobre com valor de mercado mais elevado muito em virtude da valorização pela gastronomia do produtos regionais como açaí, maniçoba, tacacá e outros da região Norte...

...Assim, vamos a receita:
Pirarucu Frito: serve cerca de 3 a 4 pessoas.
Pirarucu frito com açaí e farinha de Bragança!
Ingredientes:
600g de pirarucu salgado.
2 dentes de alho.
cheiro-verde.
pimenta do reino.
1 limão.
farinha de trigo.
óleo para fritar.

Modo de Fazer: passo-a-passo:
  1. Deixe o peixe de molho de um dia para outro.
  2. Pela manhã troque a água e deixe até 20 minutos antes de fritar.
  3. Retire da água, lave com limão e tempere com alho, a pimenta e o cheiro-verde.
  4. Enxugue com papel absorvente e passe na farinha de trigo retirando o excesso e reserve.
  5. Numa frigideira, coloque óleo com quantidade boa para fritura,acenda o fogo e deixe esquentar muito, quando estiver bem quente, coloque as postas de pirarucu com cuidado para fritar. Quando estiver douradinho vire o outro lado para fritar. Sirva com uma tigela de açaí e uma boa farinha.
    Que sabor!

E você gostou da receita? Quer comentar como foi? Deixe um recadinho que responderemos com carinho...
Até o próximo prato!





Comentários

As receitas populares